SIGA



O-Sensei
Morihei Ueshiba
(1883-1969)
Fundador do Aikido

AIKIBLOG

06/08/2011 - 00:00
Treino com sensei Gentil em Recife

Mensagem do sensei Wilson Tenório aos alunos por ocasião do treino com o sensei Gentil em Recife:

 

Wilson Alves Tenório

3º Dan – Aikikai
Círculo de Aikido
Dojo Madalena

Caros alunos,

Boa tarde!

Mais um fim de semana, mais um treino especial e mais informações que apenas com muitos anos de prática poderemos compreender o que se passou.

Lembro-me do tempo de Kyu quando participei do treino com o Massatake Fujita Shihan [8º Dan], encontrava-me no 5º Kyu e vi as técnicas serem aplicadas. Muitas delas se baseavam no Aihanmi Katatedori onde se aplicava o Shiho Nage, Ikkyo e o Irimi Nage. Confesso que fiquei pensando: ora, vejo isso todos os dias no meu treinamento com o meu Sensei que é menos graduado que o Shihan. Pois bem, o Fujita Shihan fez uma segunda visita ao nosso estado, eu me encontrava no 1º Kyu e ele mostrou a mesma coisa. Desta vez senti uma grande dificuldade em realizar os mesmos movimentos de outrora. Foi um sentimento de algo estava fora da ordem, de que estava pensando e agindo incorretamente.

Ao receber a graduação de 1º Dan participei de mais um seminário do Fujita Shihan. Confesso: repeti tantas vezes aqueles movimentos e vi que não conseguia fazer da mesma forma que o mestre estava passando. Pois bem, percebi que quando era Kyu via as técnicas, mas não observava, entendi que apenas estava praticando o que se praticava no Dojo onde fazia parte, mas não estava captando o que aquele grande mestre estava transmitindo. Compreendi que leva-se anos para se ter um coração de principiante.

A quarta vez que participei do seminário com o Fujita Sensei, tive a nítida impressão de que nada sabia e que temos uma dificuldade enorme para captar a sutileza das técnicas. O Aihanmi Katatedori com aplicações para Shiho Nage, Ikkyo e o Irimi Nage não eram e não são tão simples como vemos. Há algo que apenas o tempo e a prática podem nos dizer sobre o movimento. Desta vez tentei acompanhar atentamente com o olhar os pés, as mãos e o hara do Fujita Shihan, mais uma vez constatei que não era fácil repetir exatamente algo que tem anos de treinamento e dedicação.

Tenho um respeito muito grande por aqueles que dedicaram seu tempo e sua vida para compreender o que há por trás de uma técnica. Certa vez ouvi de um grande mestre que somos como uma cebola, no início é muito grosseiro e defeituoso, mas ao ser descascada fica com um aspecto limpo e agradável. O descascar é a prática.

Gentil Sensei sempre cita que a técnica deve ser limpa, ou seja, deve-se praticar bastante. Observem, por mais que o Sensei demonstre a técnica não conseguimos alcançar o que de fato há nela.

Certa vez Gentil Sensei falou que há um péssimo hábito de ao iniciar uma técnica partir para o final da mesma quando o mais importante está no início, no meio e no fim da técnica, são momentos diferentes dentro dela. Devemos ter a percepção de que o mais importante é sentir a técnica em toda a sua plenitude, em todo o seu trajeto. Cada minuto do treinamento deve ser aproveitado, experimentado e compreendido.

Compreender quando deve-se entrar, girar, mover o quadril, flexionar a parte superior do corpo, manter uma base firme e móvel, são tantas informações à serem trabalhadas durante a prática que apenas a repetição consciente poderá nos levar ao entendimento. A prática repetitiva e consciente é a única forma de buscar o verdadeiro Aikido.


Nesse fim de semana foram mais de 4 horas e meia de treino onde muitos abriram mão de estar com suas famílias ou amigos no sábado a noite e domingo pela manhã, que por sinal fazia um sol maravilhoso. Foram momentos intensos onde a concentração e o respeito pelo companheiro de treino estava presente no olhar de cada um.

Confesso que fiquei muito feliz com a presença de cada um que se encontrava no treino e com aqueles que por motivos maiores não puderam estar conosco, mas que nos desejaram um excelente treino.

O Dojo deve ser um lugar especial onde pessoas que se respeitam se encontram para buscar um objetivo comum, a prática do Aikido. Tive a oportunidade de ler uma entrevista que o Ô Sensei [Morihei Ueshiba] cedeu no auge dos seus 72 anos em que ele afirma que “em qualquer arte marcial japonesa pacífica, a harmonia é importante. Você tem poder quando está calmo. Se você está muito ansioso, você perde. Em outras palavras, Aiki significa conquistar algo corretamente”.

Alguns compreenderão o que citei, outros ainda não. Alguns, no futuro, reescreverão de outra forma esse texto com mais informações e experiência a ser compartilhada com os colegas da via do Aikido.


 

Sou grato pelo Gentil Sensei que sempre se desloca de tão longe para nos transmitir o que foi repassado para ele. Deixando família e amigos no Rio de Janeiro para estar conosco, seus discípulos e amigos pernambucanos.

Desde já pensem que o mais importante no Aikido é treinar.  O mestre Zen Shunryu Suzuki escreveu que “se você perde o espírito da repetição, sua prática se torna bastante difícil”.

Tenham uma excelente semana e Ganbatte.

Atenciosamente,

Wilson Alves Tenório

Tags:

Share